Missão Cristã Mundial

'Meninas como sobremesas': o escândalo sexual tailandês expõe uma tradição sombria

Quando os burocratas seniores visitaram a remota província tailandesa, onde o funcionário local Boonyarit trabalhava, a rotina era frequentemente a mesma: recebê-los com os melhores alimentos e bebidas e, em seguida, oferecer as meninas adolescentes, muitas vezes referidas como "sobremesas".

A tradição - conhecida pela frase eufemística tailandesa "tratar com a comida, colocar a esteira" - refere-se ao tratamento especial dada aos soberanos que inclui iguarias locais, acomodações de alto nível e serviços sexuais.
Até recentemente, a parte mais sinistra dessa tradição, a aquisição de meninas menores de idade, era bem conhecida, mas raramente discutida.

No entanto, um escândalo de tráfico envolvendo adolescentes, policiais e funcionários na província de Boonyarit lançou a prática nas páginas da frente do país, provocando chamadas para erradicar uma cultura que ajuda a alimentar o comércio e a exploração sexual de menores.

Enquanto a Tailândia é conhecida globalmente por distritos de luz vermelha que atendem a estrangeiros, a maior parte do seu setor sexual do sexo feminino é utilizada pelos locais.

"Esta tradição tornou-se comum há muito tempo", explicou Boonyarit Nipavanit, um funcionário distrital de Mae Hong Son, uma província pobre no norte montanhoso.

"Quando grupos de funcionários seniores vêm para seminários ou viagens de trabalho, há um costume de" tratá-los bem ", "as vezes, recebemos informações sobre o tipo de garotas que eles gostavam ... às vezes os funcionários precisavam preparar cinco a dez mulheres para que um sénior escolha".

'Ela é um presente'

Boonyarit está confortável falando livremente sobre a prática agora que os detetives abriram 41 casos em uma suposta rede de prostituição policial em sua província.

A investigação começou depois que a mãe de uma vítima fugiu para Banguecoque e disse à mídia que sua filha de 17 anos e outros adolescentes foram obrigadas a entreter funcionários e policiais.

Algumas das vítimas, disse ela, foram marcadas com tatuagens de coruja pelos gangsters como um tipo de carimbo de propriedade.
Sob a pressão da imprensa, a polícia nacional prendeu um sargento da polícia de Mae Hong Son acusado de traficar meninas e mais oito outros oficiais de dormir com menores de idade.

Cinco administradores da província de Nonthaburi também foram acusados ​​por constantemente contratar as adolescentes com fundos do governo durante visitas oficiais a Mae Hong Son.

"Desde que esta história veio à tona, muitos funcionários se sentem aliviados porque não precisarão mais fazer isso", disse Boonyarit.

Mas a chamada tradição está longe de ser exclusiva de Mae Hong Son.

Os especialistas em tráfico dizem que essa situação ocorre de forma generalizada em um país hierárquico onde os subordinados - tanto no governo quanto no setor privado - devem cuidar dos patrões para manter empregos ou subir de carreira.

"Nós não temos um sistema de mérito na burocracia, temos que subornar nossos chefes", explicou Lakkana Punwichai, uma colunista tailandesa que abrange questões sociais.

A prática de organizar o sexo para os superiores vem de "uma cultura que vê meninas não como seres humanos, mas como propriedade", acrescentou.

"Ela é um presente. Ela é a mesma coisa que a comida, como roupas bonitas - algo que tem um preço ".

Protegendo o chefe

Muitas vítimas de tráfico de sexo têm muito medo de se apresentar quando são figuras poderosas que controlam ou patrocinam o negócio - especialmente em áreas rurais como Mae Hong Son, onde as redes sociais são pequenas.

Esse foi o caso em Mae Hong Son, onde a polícia tentou inicialmente abafar as acusações feitas pela mãe que realizou a denúncia e agora está sob proteção do governo em Bangkok.

"Ela foi induzida a comprometer o caso por algumas policiais (locais)", disse seu advogado à AFP.

A polícia anti-tráfico também prometeu acelerar as investigações e punir os envolvidos no tráfico e exploração de meninas. Na semana passada, uma força-tarefa prendeu três autoridades locais da província de Nakhon Ratchasima, no nordeste, acusadas de ter relações sexuais com meninas adolescentes - algumas de até 14 anos - que foram traficadas para um bordel de prostituição de menores de idade.

Mas os especialistas dizem que quase sempre os punidos são cafetões de baixo nível ou funcionários.

"Depois que a polícia resgata as meninas e prende os responsáveis pelo aliciamento, eles não continuam a investigação", disse Ronnasit Proeksayajiva da ONG anti-tráfico Nvader.

"Eles nunca investigam, por exemplo, sobre quem são os clientes".

O que podemos fazer?

É inaceitável que no século XXI crianças adolescentes e jovens mulheres, pessoas humanas, ainda sejam comercializadas. Segundo a Organização Internacional do Trabalho, cerca de um milhão de pessoas são traficadas no mundo anualmente com a finalidade de exploração sexual. Desse número, 98% são mulheres. Esse crime é apontado pela Secretaria Nacional de Justiça como o mais organizado e lucrativo do mundo, pois movimenta mais de US$ 32 bilhões por ano.

Esse é mais um crime contra os menos favorecidos e marginalizados do sistema econômico, já que as vítimas pertencem a localidades com escassez de recursos e pouca oferta de educação, jamais se soube de uma vitima de classe alta.  Dessa forma, podemos destacar que a desigualdade socioeconômica e educativa é a raiz do problema.

Além disso, a impunidade para esse tipo de crime é altíssimo. Existem leis penais, porém elas não funcionam, já que na maioria das vezes as pessoas que deveriam zelar pela lei são as mesmas que as corrompem. 

Diante disso qual é a solução para esse problema? Poderíamos destacar uma série de alternativas que focassem em reduzir a desigualdade material e educacional, e elas se fazem necessárias. Porém como cristãos temos uma ferramenta importantíssima em nossas mãos, à oração, através dela podemos alcançar os mais diferentes lugares onde milhares de seres humanos tem sido traficados. Ainda devemos denunciar tais crimes compartilhando ao máximo tais noticias para que as autoridades competentes tomem as devidas providências. 

Atentado suicida mata dezenas de civis em Cabul, no Afeganistão

Pelo menos 24 civis morreram e outros 42 ficaram feridos em um atentado suicida nesta segunda-feira (24), em Cabul, no Afeganistão. O veículo explodiu em uma rua próxima a uma área residencial onde vivem funcionários afegãos no oeste da cidade. O Talibã reivindicou a ação.

O porta-voz do Ministério do Interior, Najib Danish, anunciou, na sua página oficial no Facebook, que todas as vítimas eram civis. A explosão do veículo aconteceu pouco antes das 7h (horário local, 23h30 de domingo, 23, em Brasília), em uma rua no Distrito Policial 3 no oeste da capital afegã.

Ainda que o local onde tenha ocorrido a explosão fique próximo a uma área residencial, o atentado afetou sobretudo lojas e estabelecimentos situados em ambos os lados da rua. Danish afirmou que 15 lojas e três veículos também foram danificados na explosão.

O porta-voz dos talibãs, Zabihullah Mujahid, em um comunicado, afirmou que o objetivo era atingir dois micro-ônibus com "interrogadores" dos serviços de inteligência afegãos.

"Dois micro-ônibus estavam há dois meses sob vigilância e foram atacados depois que pegaram todos os passageiros", disse Mujahid, acrescentando que os veículos iam para a sede dos serviços de inteligência na capital afegã.

A agência de inteligência Diretório Nacional de Segurança rejeitou a versão dos talibãs, ao afirmar que esse departamento "não utiliza ônibus para transportar seus funcionários".

Cinco feridos em um ataque com uma motosserra na Suíça

Cinco pessoas foram feridas, duas delas em estado grave, depois de serem atacadas nesta segunda-feira por um homem com uma motoserra na cidade de Schaffhaussen, situada no norte da Suíça, fronteira com a Alemanha. O incidente aconteceu nesta manhã em um edifício de escritórios no centro histórico da cidade de 35.000 habitantes. O suspeito, que a polícia considera "muito perigoso", está foragido, mas autoridades locais asseguram que a agressão não foi um ato terrorista.

Os alarmes da cidade soaram às 10.39 horas, no momento do ataque. Desde então, está em marcha uma operação de busca para capturar o suspeito, que foi descrito como um homem de 1,90 metros com aspecto descuidado e calvície incipiente. Os agentes acreditam que ele fugiu em uma van Volkswaggen Caddy com placas suíças. As autoridades pediram à população que tenham cuidado e se mantenham fora da zona de busca. Segundo as testemunhas, o centro histórico da cidade permanece isolado.

Ore por uma professora cristã no Paquistão

Uma colaboradora que atua como professora no Centro de Mulheres precisa das nossas orações. Seu esposo, Kashif* sofreu um acidente há alguns anos e, desde então, vem apresentando problemas de saúde mental. Recentemente, a situação vem piorando e ela está preocupada com a segurança dele e também dos filhos.

Além disso, a professora teme que, em seus episódios de confusão mental, ele possa dizer algo blasfemo, o que colocaria a família toda em risco. Há um grupo de líderes cristãos apoiando a família. “Às vezes, não há uma melhora visível, em casos como esse, então eles precisam de nós para caminhar e seguir em frente. Ajudamos em oração, no cuidado de suas vidas e com aconselhamentos apropriados. Esse trabalho em Cristo é transformador, com certeza”, comenta um dos líderes.

Ele também disse: “Acredito que Deus traz à igreja pessoas como Kashif, para nos ensinar a ser mais fieis e também para nos mostrar que não devemos desistir”. Outro líder acrescentou: “Precisamos nos manter unidos. Por favor, estejam juntos com cada um de nós em oração, para que possamos colaborar com a vida da professora enquanto ela serve a Deus”, disse o pastor que está ministrando a palavra à família.

*Nome alterado por motivos de segurança.

Como vivem os cristãos na Índia

Há anos que a violência vem aumentando consideravelmente no país; a intenção dos extremistas religiosos é que a nação seja hinduinizada

A Índia está em 15º lugar na atual Lista Mundial da Perseguição, classificando-se como um dos países onde é mais perigoso seguir a Cristo. A violência contra os cristãos aumentou consideravelmente e a igreja tem sido alvo, principalmente, de extremistas hindus. O hinduísmo é defendido pelo governo, por isso as atividades nas igrejas são constantemente vigiadas. Há inclusive leis que proíbem os indianos de se converterem ao cristianismo.

Entre os incidentes mais comuns estão: ataques às casas dos fiéis, líderes cristãos perseguidos, ameaçados, violentados e até mortos. Esses crimes estão acontecendo com mais frequência, nos últimos anos, por causa da impunidade judicial. Só no período das comemorações de Páscoa, cinco igrejas, em cinco estados diferentes, foram alvo de extremistas. Muitos cultos foram interrompidos, cristãos e líderes levados à delegacia, houve ameaças e até agressão física. Mas apesar de tantos obstáculos, a igreja continua crescendo.

Quase todos os cristãos indianos são perseguidos, mas os ex-hindus são mais pressionados por que tanto a família quanto a comunidade tentam forçá-los a retornar à antiga religião. Um processo de hinduinização está sendo plantado no país, por isso as minorias religiosas ficam ainda mais vulneráveis. A intenção dos extremistas religiosos é que a nação seja completamente hindu e eles investem muito nisso. O número de incidentes aumenta a cada ano, o que parece ser apenas a ponta do iceberg, já que a maioria dos casos não é oficialmente registrado. Essa tendência é perigosa para a igreja no país, que necessita muito de orações.

Fonte: portas abertas

Elizabete II fala sobre a influência de Cristo em sua vida

A rainha da Inglaterra, Elizabeth II, fala sobre o papel central de Jesus em sua vida num novo livro. Prestes a completar 90 anos, ela está lançando “The Servant Queen and the King She Serves” [A Serva Rainha e o Rei que Ela Serve].

Eu tenho sido – e continuarei sendo – muito grata pelas suas orações e a Deus por sua benignidade”, escreveu a monarca no prefácio da obra, que deve ser lançada em abril.  “Realmente tenho visto a sua fidelidade”, acrescenta.
 
Editado conjuntamente pela Sociedade Bíblica, HOPE e o Instituto de Londres Para O Cristianismo Contemporâneo (LICC), serão distribuídas cópias gratuitas em milhares de templos da Igreja da Inglaterra (Episcopal Anglicana). Elizabeth é, como rainha, a Governadora Suprema da Igreja da Inglaterra.
 
Mark Greene, diretor executivo da LICC, é o co-autor da obra biográfica. “Enquanto escrevia este livro e falava sobre ele com meus amigos e familiares que não conhecem a Jesus — e também com meu barbeiro judeu — fiquei impressionado em ver como eles se interessaram em saber mais sobre a fé da rainha”, comemora.
 
A rainha tem preocupação com os outros e uma clara dependência em Cristo”, afirma Greene.
 
O jornal Star Tribune destacou que, além de sua fé, a rainha também aborda a perseguição contínua dos cristãos no Oriente Médio, um assunto que ela tem mencionado nos seus discursos em diversas ocasiões.
 
Para Roy Crowne, diretor-executivo da HOPE, em 21 de abril, o aniversário de Elizabeth será uma boa oportunidade para os cristãos “agradecerem a Deus e à rainha por sua vida e exemplo de como uma seguidora de Jesus Cristo”.
 
Fonte: Gospel Prime

O que há por trás da canção Te agradeço

Dennis Jernigan viveu, desde pequeno, em uma fazenda no interior dos EUA. Aos nove anos de idade já tocava piano no louvor da igreja que seu avô pastoreava. Sua família era bem à moda antiga, e demonstrações de carinho físico não eram parte da rotina.
 
Dessa forma, Jernigan cresceu com o pensamento de rejeição. Achava-se indigno de ser amado, por isso, trabalhava ao máximo para fazer todas as coisas da melhor forma possível, achando que assim seria amado. “Lembro-me de ser um menino que desejava a aprovação e aceitação do meu pai para todas as áreas da minha vida”, afirma Dennis.
 
Mas a frustração aumentava, uma vez que essas habilidades e conquistas não diminuíam seu sentimento de inferioridade. “Olhando para trás, percebo que era uma criança muito egoísta. Eu achava difícil acreditar que alguém me amava. Sentia-me inútil. Então, eu tentei ser o melhor em tudo: trabalhos escolares, basquete, música, etc. Mas nunca parecia ser bom o suficiente”.
 
A homossexualidade
 
Esse sentimento de rejeição apoderou-se também da sua vida sexual. “Essa é a parte mais dolorosa da minha vida, uma parte que eu tentei esconder. Satanás, o tempo todo tentou impedir o plano de Deus para mim. Isto incluiu a parte sexual. Como me sentia rejeitado pelo principal homem da minha vida (meu pai), comecei a ansiar por intimidade com outros homens, de maneiras perversas”.
 
Um dos momentos cruciais da sua vida aconteceu em janeiro de 1981, quando um dos homens mais respeitáveis da comunidade se aproximou de Jernigan, preocupado com seu bem-estar. Todos o respeitavam muito, todos achavam que ele era um ótimo marido e pai. Com a aproximação, veio a confiança, e Jernigan sentiu-se livre para contar seu segredo. Mas o homem veio com intenções sexuais e acabou assediando Jernigan.
 
A dor foi tão grande que ele decidiu tirar sua vida, desistindo de obter ajuda para seu problema. Foi para casa e tentou se matar, mas, pensando na eternidade, preferiu viver da forma como achava que havia sido criado para ser.
 
A voz do Senhor
 
O Senhor não desistiu de restaurar completamente a vida de Jernigan. “O Senhor falava ao meu coração: ‘Dennis, eu te amo. Eu sempre te amei Dennis, você é meu filho! Eu te amo e sempre vou te amar’. Foi então que eu perdi a necessidade de ser aceito e amado por outros, porque eu recebi o amor de Jesus. Foi também neste mesmo tempo em que os pensamentos e desejos sexuais perversos foram alterados. Ele começou a substituí-los por pensamentos santos e puros sobre o amor sexual”.
 
É tão incrível ver que Deus me amou suficiente para preservar minha vida das doenças sexualmente transmissíveis, como a AIDS, mesmo eu vivendo na promiscuidade. Uma coisa que me manteve durante os primeiros anos da minha vida quando eu senti vontade de desistir e viver em pecado, foi o fato de que Jesus continuou me chamando”.
 
Testemunho que transforma
 
O mais interessante em seu processo de cura ocorreu em 1988, quando decidiu não se esconder e liberar de vez sua cura. Contou para a igreja que congregava todo esse testemunho que você leu, e ali muitas outras vidas confessaram suas dores e fardos da alma.
 
Percebi que Deus queria tirar os maiores fracassos e fraquezas da minha vida e torná-los meus pontos mais fortes – e que Satanás queria mantê-los escondidos para que ele pudesse usá-los contra mim. Naquele dia, eu coloquei publicamente a minha vida e minha reputação de servir a Jesus em uma maneira impressionante”.
 
Até hoje Jernigan percorre o mundo ministrando louvor maravilhosamente, levando seu testemunho e fazendo a obra de Deus, abençoando muitas vidas.
 
Suas circunstâncias, seus pecados, suas feridas, etc., podem ser diferentes das minhas, mas a resposta ainda é a mesma – Jesus”.
 
Fonte: www.dennisjernigan.com