Loja Painel Filiado
OUÇA MCMPOVOSRÁDIO

News

No último dia 20, a líder do Ministério Diante do Trono de Louvor, Ana Paula Valadão, fez uma crítica em suas redes sociais a respeito da propaganda da loja C&A, que faz alusão à ideologia de gênero, mostrando homens vestindo roupas femininas e mulheres vestindo roupas masculinas.
 
O post rendeu mais de 540 mil comentários e repercutiu nos principais sites de notícias. Milhares de internautas reagiram, dirigindo palavras agressivas e todo tipo de xingamentos, não somente a cantora, mas a todos os cristãos.
 
Nossa posição
 
Nós, da MCM, ficamos com a Palavra, que diz: “E criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou” (Gn 1.27). Tanto na sociedade como na família, ambos exercem funções importantes: a de marido ou esposa, pai ou mãe, filho ou filha, irmão, a de provedor, educadora, amiga, patrão ou empregado, a de pastor ou ovelha, a de aluno ou professor etc.
 
Esses papeis estão bem definidos na Palavra de Deus e somente um equilíbrio entre eles garante o bom andamento da família, da igreja e da sociedade (Tito 2.4,5; 1 Pedro 3.1-7; Provérbios 14.1).
 
Portanto, somos contra a ideologia de gênero, pois ela não aceita diferenças entre homens e mulheres e prega que a percepção que as pessoas têm de sua própria sexualidade, depende da educação recebida e pode ser diferente de seu sexo biológico. Ou seja, ninguém nasce homem e nem mulher.
 
Essa ideologia tem suas raízes nos estudos de Marx e Engels que diziam que a submissão da mulher ao homem é a fonte de todas as formas de opressão e o principal impedimento para a igualdade social.
 
Segundo eles, a solução para esse problema seria o Estado assumir a tarefa de educar as crianças como bissexuais, para que a masculinidade e a feminilidade deixassem de ser naturais. Portanto, a ideologia de gênero veio como uma tentativa para se alcançar esse objetivo.
 
Invadindo os livros didáticos
 
Os livros distribuídos nas escolas para a educação infanto-juvenil em 2016 vieram impregnados da ideologia de gênero.
 
“As crianças serão informadas sobre arranjos familiares de gays e lésbicas, com adoção de filhos. Elas tomarão conhecimento de bigamia, poligamia, bissexualismo e transsexualismo. Aprenderão a observar melhor os próprios corpos e os corpos dos outros através de exercícios em sala de aula, orientados pelo livro didático. Os livros também lhes dirão das doenças sexualmente transmissíveis e dos mais diferentes métodos anticonceptivos”, afirma o professor Orley José da Silva.
 
Proteja sua família
 
É dever de todo cristão proteger a família de qualquer artimanha para tentar dissolvê-la ou diminuir sua importância. Não se cale diante da ideologia de gênero, que além de ser contrária aos princípios cristãos, também é crime.
 
Crianças e adolescentes são pessoas em desenvolvimento e, por isto, encontram-se em situação de vulnerabilidade psicológica. A criança não distingue entre o que é informado, sugerido ou ordenado. Por isto, o Direito e a Psicologia desaprovam a exposição de temas, como a ideologia de gênero, pois pode influenciar negativamente em sua formação psicológica.
 
Quem decide sobre a educação sexual dos filhos são os pais. O Governo não tem nada a ver com isso. Ele não tem o direito de decidir o que é certo ou errado em relação a isso”.

Pr. José Rodrigues